Facebook Tumblr Instagran You Tube

Roberto Santos

Roberto Santos

1972 – São Paulo
Brasil
DRT: 013496
Artista


Graduado e pós -graduado pela FPA - Faculdade Paulista de Artes, entre 2010 e 2014.
Em seu processo de pesquisa e produção artística, dialoga com as Artes Visuais, com a música, com a Dança, com a Performance e com o Teatro Contemporâneo.

Artista multi meios, tendo realizado trabalhos como ator, cantor, dançarino, destaque de escolas de samba, figurinista e performer.

Já realizou várias performances no SESC, no CCBB e também nos espaços Céu, tendo como foco identidade, questões de gênero e LGBT.

Arte-educador com experiências bem-sucedidas em diversos espaços culturais como CCBB SP, Rede SESC, Itaú Cultural, Porão das Artes, MAM SP – Museu Arte Moderna.

Realizou trabalhos em produção de figurinos, atuando também como professor e pesquisador em estamparia em tecidos, graças a experiências anteriores, nacionais e internacionais em vários países como : Japão, China, Turquia e Chipre, no Centro Cultural Africano, Lisabi Cultural Center, Centro Cultural Solano Trindade, ETE José Rocha Mendes (Curso Técnico de Moda) e Centro Experimental Público de Formação Profissional São Paulo.

Atualmente, está em processo de pesquisa e produção artística, utilizando diferentes e variados suportes, referente à poética do Ator-Performer, dialogando com espaços alternativos, criando diálogos com a contemporaneidade e suas problemáticas, traduzidas em seu fazer artístico.

Minha Poética Artística

Roberto Santos Em meu processo e realização de trabalhos artísticos, dialogando com as diferentes linguagens, como as artes visuais, a dança, a performance, a música, as manifestações populares e o teatro, que ao meu ver, dialogam entre si, há uma vontade de experimentar, questionar, refletir e perceber no corpo e na alma o surgimento de algo novo em mim. E a partir desses exercícios laboratoriais, experimentações, work in process, o conhecimento de técnicas que venham a colaborar para a dilatação do processo criativo, onde minha poética artística se manifesta.

Utilizo diferentes suportes: meu corpo, imagens, slides, projeções, pintura, fotografia, tela, criação de figurinos, make up, adereços, poemas autoriais, dança contemporânea, música, diários de bordo, cenários privados e públicos. A apresentação estética visual passa a ser fundamental, pois facilita o entendimento de meu trabalho artístico. Sinto a necessidade de uma experiência estética através da imersão ao que não conheço sobre mim mesmo e sobre o outro, utilizando a Arte como ferramenta propulsora.

Me aproprio de registros via portfólios, caderno de artista, esboços, pintura em em papel e telas, anotações, fotos, vídeos e também a colaboração em trabalhos de outros artistas como: Laura Lima, Ayrson Heráclito, Richard Downing. E ainda, as referências que são: Antonin Artaud, George and Gilbert, Matthew Barney, Pina Bausch, Martha Graham, Marina Abramovic, Kandinsky, Kraftwerk, Helio Oiticica entre outros.

A minha proposta de pesquisar o corpo, este que passa a ser híbrido, dialogando com as diferentes linguagens, é construir uma nova maneira de encontrar possibilidades de deixar evidente o que quero dizer.

Meu conceito está voltado para expressar em arte tudo aquilo que está fora do padrão imposto.

Assuntos voltados ao gênero, racismo, preconceito, diversidade, manifestação popular, me causam interesse.

Por ter descendência afro-brasileira e indígena carrego comigo algo que muitas vezes não está claro no contexto hegemônico, pois nasci em um país, Brasil – na cidade de São Paulo - que tem a colaboração na formação cultural brasileira de diferentes grupos étnicos: negros, europeus, asiáticos, índios. Povos de diferentes lugares do mundo que aportaram por aqui durante a colonização, durante a primeira e segunda guerra mundial, após essas catástrofes e realidades. E ainda, permanecem imigrando para o Brasil até os dias de hoje. Sou um ser cosmopolita e conhecer a cultura do outro também é um campo de interesse, pois percebo que as problemáticas são semelhantes, mas o que nos diferencia é a forma de ver e dialogar com o mundo. Dialogar com a Arte e fazer Arte.

O meu fazer artístico traz a poética das realidades humanas, traduzidas pela maneira com que entendo essas realidades, a partir de minhas experiências, vivências e diálogos do dia-a-dia.

E com isso, meu percurso se dá a partir do contato arte vida e assim sucessivamente. Minha busca está pautada na liberdade de expressão, através de meu corpo e o que este corpo, possa absorver e traduzir-se em Arte.

Roberto Santos
2017